domingo, 14 de dezembro de 2008

V de vingança - O que você precisa e quer é de uma história

"Todos os nomes e as datas estão em sua cabeça. O que você precisa e quer é de uma história. Uma história pode ser real ou falsa. Este julgamento cabe a você.

Nossa história começa como a maioria das histórias, com um jovem político de ascensão rápida. Ele é muito religioso e membro de um partido conservador, ele é muito obstinado e não tem o menor respeito pelo processo político. Quanto mais poder ele tem mais óbvia fica a beatice dele, mais agressivos se tornam os que o apóiam.

No tempo certo, o seu partido lança um projeto especial em nome da segurança da nação. No começo pensam que é uma pesquisa de armas biológicas que deve ser obtida a qualquer custo. Porém o objetivo deste projeto é poder, dominação hegemônica, completa e total. Só que o projeto acaba violentamente.

Mas os esforços dos envolvidos não foram em vão, pois uma nova habilidade de fazer guerra nasce do sangue de uma das vítimas. Imagine um vírus, o vírus mais terrível que puder e depois imagine que só você tem a cura, mas se o seu objetivo final é poder, qual a melhor forma de usar uma arma?

É nesse ponto da história que vem uma aranhazinha. Ele é um homem aparentemente sem consciência para quem os fins sempre justificam os meios. É ele quem sugere que o alvo não deve ser o inimigo do país mas sim o próprio país. Os alvos são escolhidos para potencializar o efeito do ataque. Uma escola, uma estação de metrô e uma estação de tratamento de água.

Várias centenas morrem em apenas algumas semanas. Incentivados pela mídia, medo e pânico se espalham rápido rachando e dividindo o país até que enfim o verdadeiro objetivo vem à tona. Antes da crise ninguém poderia prever os resultados das eleições daquele ano, ninguém! Então, não muito depois das eleições vejam só - um milagre.

Alguns acreditavam que era obra do próprio Deus, mas foi de uma companhia farmacêutica controlada por certos membros do partido, que os deixou podres de ricos. Um ano depois vários extremistas foram julgados, condenados e executados enquanto um memorial era construído para canonizar as vítimas.

Mas o resultado final, a verdadeira genialidade do plano era o medo. O medo se tornou a ferramenta suprema deste governo e através dele nosso político ascendeu ao cargo recém criado de alto chanceler. O resto, como dizem é história."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou sugestão.