Entrevista com um politico mercenário, do Brasil

politico, mercenario, corrupto, brasil, senado, camara, vereador, senador, deputadoB - Deseja revelar seu nome?

PM - Nomes? o que são nomes diante da importância das idéias e do bem estar de minha gente...

B - Quando o senhor ingressou na carreira política?

PM - Fazem cerca de 30 anos que dedico minha vida ao bem estar de minha gente. Senti pela primeira vez minha vocação à politica ainda em minha juventude, na fazenda de papai, convivendo com aquelas pessoas que executavam trabalhos serviçais para minha família. Pessoas que se alegravam com tão pouco, muito trabalhadoras, acordavam cedo e iam para a lida até o anoitecer, sem reclamar. Você dava um agradinho e elas ficavam lhe devendo favor. Eram quase que da família. Então lá pela década de 80, por insistência de papai, concorri pela primeira vez à prefeitura da cidade. A principio fiquei receoso do resultado mas papai me garantiu que que todos os nossos empregados, com suas famílias, parentes e agregados apoiariam minha candidatura. E então lá estava eu, prefeito.

B - Qual foi sua primeira medida após a posse?

PM - Minha família tem tradição e eu não poderia fugir às minhas responsabilidades. Meu primeiro ato foi de caridade para com meu povo. Saímos de caminhão levando mantimentos para a população, cada família da lista feita por papai recebeu 15 kg de alimentos.

B - O que o senhor tem a dizer a respeito das denuncias de fraudes durante seu mandato, nas várias instancias em que esteve?

PM - Na política é assim mesmo, quem perde sempre fica procurando algo para acusar o adversário e quem ganha, sempre tenta esconder. Isso é coisa normal no jogo político. Denúncias de que eu pagava altos salários aos meus CCs e ficava com parte do salário deles é um absurdo. Superfaturamento e compra de votos não existe. Tudo isso é mentira da oposição.

B - Sabemos que a função exercida na prefeitura serviu de impulso para galgar posições mais elevadas. Como foi a transição de prefeito de uma cidadezinha para senador?

PM - Na prefeitura aprendi muitas coisas novas. Depois passei um tempo na assembleia legislativa e câmara dos deputados. Tudo isso contribuiu para que eu me tornasse o politico que sou hoje, aclamado por minha gente. Conheci empresários importantes que acabaram, após algumas negociações, me apoiando graças a meu trabalho em prol de minha gente. Não percebi muita diferença entre ser prefeito e ser senador, você só precisa conhecer as pessoas certas, fazer as alianças corretas do ponto de vista de seu objetivo principal.

B - Qual é seu objetivo principal?

PM - Meu objetivo principal é ajudar minha gente.

B - Ao longo de sua trajetória política o senhor passou por várias legendas, o que tem a dizer sobre isso?

PM - Para mim é natural que você opte por mudar de partido sempre que algo não saia ao seu agrado. Fazer política é negociar. Não faz sentido continuar no partido A se o partido B me oferece mais vantagens. Por exemplo: a mudança do partido xxxx para o xxxx, me rendeu 23 cargos a minha disposição, que me possibilitaram mais tarde executar a tão afamada obra do de duplicação da BR pedagiada com recursos públicos.

B - O que o senhor tem a dizer sobre as denuncias de que seu patrimônio subiu de R$ 135.000,00 para R$ 6.586.263,60 nos útimos 5 anos?

PM - Isso é mais um absurdo. Meu patrimônio atual, declarado em imposto de renda é de R$ 486.524.12. O que eles dizem que é meu não é meu. Só porque eu fico 10 dias por mês na fazenda xxx que é de um amigo da família, isso não significa que ela é minha.

B - Na votação que isentava grandes empresas de pagamento de impostos, o senhor a principio era contra e no último instante ficou a favor, o que garantiu a aprovação? O que aconteceu?

PM - O que havia ali era uma desinformação causada por um de meus assessores. Felizmente fui procurado pelos representantes das empresas os quais me convenceram de que a aprovação do projeto seria melhor para todos nós, e para minha gente, claro.

B - E quanto à votação que elevou os rendimentos dos congressistas?

PM - Meu rapaz, antes de ir para o congresso, eu também achava que eles ganhavam muito. Só depois que eu cheguei lá foi que percebi que o valor poderia ser maior ainda. Você não tem ideia dos gastos que vem junto com o cargo. São muitos meu filho.

B - O senhor é favorável à re-eleição?

PM - Só se for a minha.

B - O senhor se arrepende de alguma coisa durante sua vida política?

PM - Estou com a consciência tranquila de que tudo o que fiz foi pensando no bem estar e na elevação do padrão de vida da minha gente.

B - O senhor pretende concorrer nas próximas eleições?

PM - Certamente, já temos um pessoal duma agencia de marketing que me devia uns favores que vai encampar minha campanha nas rádios, tevês, internet, dando duro, para que eu possa continuar ajudando a minha gente.

B - Suas considerações finais.

PM - Meu povo... vocês me conhecem. Conto com seu voto para dar um basta nesses políticos profissionais que só pensam em tirar proveito próprio e não conseguem garantir melhores salários, saúde, educação, segurança, e empregos para a minha gente. Quem já fez fará de novo. Nas próximas eleições vote em mim e continue fazendo muita gente feliz.
___
Nos bastidores:
PM - Perdoe-me a pressa mas tenho um jantar importante com um pessoal da alta roda e não posso deixar minha gente esperando.

Legenda
B = balastraca.net
PM = político mercenário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As jornalistas mais belas do século passado

Wing Chun kung fu - tenha aulas online e de graça

Shakira: fotos sensuais da cantora colombiana